topo.jpg

Projetos

PROJETOS DE PESQUISA

Rede Goiana de Pesquisa sobre Trabalho, Discurso e Identidade (FAPEG)

Coordenadora: GRENISSA BONVINO STAFUZZA 
 
Objetivo Geral da Rede: Refletir sobre trabalho, discurso e identidade a partir de diversos contextos e setores de atividades na sociedade, analisando os possíveis sentidos que trabalho possa ter ou vir a ter.  
  
Fundamentos da Rede: Quando verificamos a acepção da palavra trabalho no dicionário há, pelo menos, vinte (20) significados e treze (13) expressões. Os sentidos passam por “trabalho operário”, “qualquer obra realizada”, “local onde se exerce essa atividade”, “tarefa para ser cumprida; serviço”, “atividade que se destina ao aprimoramento ou ao treinamento físico, artístico, intelectual, etc.” (HOUAISS, 2010, eletrônico). Nesse sentido, podemos dizer que uma dona de casa, um músico, um designer gráfico, um físico, um técnico de futebol, um metalúrgico, um professor e um estudante exercem seus trabalhos de modo a revelar seus posicionamentos identitários na sociedade em que vivem. Tais posicionamentos são constituídos numa dinâmica social mediada pela linguagem e pela cultura: um professor ou um técnico esportivo possuem status diferenciados e, sob essa perspectiva, são suas funções, aquilo que é executado por eles, que definem suas posições sociais. Debater sobre o tema trabalho, discurso e identidade significa refletir sobre os vários sentidos que emergem a partir da análise de diversos setores de atividades atuantes na sociedade. A presente Rede de Pesquisa encontra-se fundamentada na Análise do Discurso (AD) considerando seus diálogos com teorias de diversas áreas do conhecimento que pensam sobre a temática proposta, especialmente, as Ciências Sociais. Pretendemos que o projeto proposto reflita sobre a possibilidade não de uma, mas de diversas análises, não de um, mas dos discursos que circulam na sociedade sobre o tema em estudo. Nesse sentido, entendemos trabalho não somente em suas acepções, mas também relacionado às suas condições de produção, às construções de sentidos que surgem de um enunciado sobre trabalho, por exemplo, e dos efeitos de verdades que possui tal enunciado quando são produzidos. Assim, temos como hipótese inicial que um metalúrgico constituiria um sentido para trabalho que poderia se distanciar do sentido que trabalho possa vir a ter para um analista de sistemas. Posto assim, trabalho relaciona-se à identidade como condição para o estabelecimento da conduta social do sujeito trabalhador. A partir disso, podemos coletar um corpus de pesquisa para analisar os sentidos produzidos sobre trabalho e identidade, observando as especificidades do corpus, seja uma mídia impressa ou uma mídia eletrônica. É preciso lembrar que o sentido não é posto, pois ele nasce através da utilização da linguagem na interação social, ou seja, consideramos no projeto a questão do outro, uma vez que é a partir da consciência do outro que o sujeito produz o discurso. Daí pensarmos na representação social que a mídia impressa (jornais e revistas, em especial) e eletrônica (informativos, artigos e vídeos) estabelecem com/sobre o trabalhador, suas identidades, por meio da divulgação de seus textos, que, hipoteticamente, são – anteriores às representações do mundo – representações de relações sociais marcadas pelos sujeitos nelas inseridos.  
 
Áreas da Agenda Goiana de Programas de Fomento à Pesquisa: 2 - Conhecimento e Expressão Humana  
   
Instituições pertencentes a esta Rede de Pesquisa:
UFG - Universidade Federal de Goiás
STR - Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Catalão
SIMECAT - Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Catalão
SRC - Sindicato Rural de Catalão

Projetos de pesquisas que se vinculam à Rede:

O discurso do trabalho na publicidade, de Schneider Pereira Caixeta.

O discurso do trabalho na literatura de autoajuda, de Franciele Graebin.

O trabalho dignifica o homem: efeitos de sentido de trabalho na mídia sindical, de Grenissa Bonvino Stafuzza.

Acesse a Rede Goiana de Pesquisa sobre Trabalho, Discurso e Identidade no site da FAPEG clicando aqui.

 

Efeitos de sentido no discurso acadêmico institucional

Coordenadora: GRENISSA BONVINO STAFUZZA

Resumo: Os efeitos de sentido dizem respeito aos diferentes elementos históricos, sociais e linguísticos que perpassam as enunciações produzidas em todo e qualquer discurso. No discurso institucional acadêmico, esses sentidos configuram-se em vozes sociais traduzidas pela consciência valorativa dos grupos de professores e pesquisadores da instituição, revelando suas escolhas e trajetórias teóricas, que refletem seus posicionamentos teóricos e institucionais. Sob essa perspectiva, o mote da pesquisa sugere a discussão sobre o processo de formação de professores, com o objetivo de analisar, tomando como corpus documentos institucionais - Projeto Pedagógico Curricular (PPC), fichas de disciplinas, planos de cursos, linhas de pesquisa, natureza teórica das publicações científicas em periódicos especializados etc. - os efeitos de sentido que perpassam (constituem) o discurso acadêmico institucional. Em relação às escolhas teóricas, a ideia inicial é fomentar uma discussão no que diz respeito às diversas áreas do conhecimento que fundamentam os documentos oficiais institucionais que, por sua vez, orientam as práticas pedagógica, epistemológica e institucional de um curso de Letras (Licenciatura). A determinação da grade curricular, por exemplo, individualiza o discurso acadêmico vinculando-o à historicidade da instituição. Assim, o discurso acadêmico torna-se institucional a partir de sua constituição enunciativa, ou seja, cada instituição, segundo sua natureza sócio-histórica, estabelece uma relação com o discurso acadêmico que se instaura enquanto representação nas práticas acadêmico-institucionais, sendo que os documentos institucionais fundamentam e orientam essa prática.

Projetos de pesquisa que se vinculam a este projeto:

O discurso trágico na moda de viola, de Aldenir Chagas Alves.

O discurso pedagógico acerca do conceito de fluência nas escolas de idiomas, de Evelyn Cristine Vieira.

O interdiscurso na literatura de autoajuda, de Lady Daiane Martins Ribeiro.

O sujeito professor na análise do discurso de autoajuda, de Samuel Cavalcante da Silva.

O uso do inglês na publicidade de festas em Catalão-GO: discurso, mídia e identidade, de Schneider Pereira Caixeta.

 

A construção do discurso crítico literário universitário

Coordenadora: GRENISSA BONVINO STAFUZZA

Resumo: Este projeto estuda a construção do discurso crítico literário produzido por professores universitários, especialmente sob a forma de artigos críticos no que diz respeito aos estudos literários. Logo, uma análise de artigos crítico-literários universitários poderá corroborar com algumas etapas essenciais ao escopo desta pesquisa: i) a contemplação de como se dá a recepção crítica universitária de literatos; ii) a observação de um lugar de instauração destes literatos e suas obras na universidade; iii) a análise do trabalho da crítica literária e suas correntes diversas ao tratar do texto literário na universidade. Evidenciamos, sobretudo, a relação epistemológica da AD com a crítica literária, objetivando circunscrever o universo literário no imaginário acadêmico, uma vez que as teorias e críticas literárias são professadas nos cursos de Letras e sempre pensadas por professores especialistas. Consideramos, portanto, a temática desta pesquisa de suma importância para o universo acadêmico, ponderando, por um lado, em oferecer fundamentos para este tipo de análise do discurso, e, por outro, refletir sobre a nossa própria prática discursiva institucional como professores..

Projetos de pesquisa que se vinculam a este projeto:

Discurso crítico cinematográfico: da crítica impressionista à institucionalização do cinema, de Lucas Garcia da Silva.